SE VOCÊ PRECISA DE AJUDA ACESSE

quinta-feira, 30 de maio de 2013

NOTÍCIAS: UM CASO DE SUICÍDIO EM IDOSOS

Ontem em torno das 17 horas um casal de idosos, acima de 80 anos, precipitou-se de um edifício na Rua Santa Clara, em Copacabana, Rio de Janeiro. Vizinhos informaram que a mulher estava com a Doença de Alzheimer, e o marido cuidava dela. Versões discordantes dizem que ambos saltaram juntos, e outras que o marido jogou a mulher e depois se lançou.

Esta história me fez lembrar do enredo do filme AMOUR do Diretor Michael Haneke, com Jean Luis Trintinant e Isabelle Hupert. No filme a personagem da mulher inicia um quadro clínico da Doença de Alzheimer e o marido depois de cuidar dela por um tempo, a mata e sai sem que se saiba o destino que o diretor deu a ele.

O fenômeno da imitação  no suicídio surgiu na publicação do livro do escritor alemão Goethe, os sofrimentos do jovem Werther, em 1774: um romance de amor em que o herói se suicida e, que levou a um aumento na taxa de suicídio de jovens na Europa.
Durkheim no capítulo sobre A Imitação em seu livro O Suicídio, de 1897, portanto posterior ao livro de Goethe, afirma que: existe imitação quando um ato tem por antecedente imediato a representação de um ato semelhante, anteriormente realizado por outros, sem que entre esta representação e a execução se intercale nenhuma operação intelectual, explícita ou implícita, relativa aos caracteres do ato reproduzido.
Embora não tenhamos informações precisas, e nunca as teremos sobre este caso, o fato do filme ter passado recentemente e de ter sido visto por uma população de adultos idosos na zona sul do Rio de Janeiro deixa a dúvida se existiu alguma relação.
O tema da imitação e do contágio não permite nenhuma análise banal, porque ele diz respeito aos fenômenos de comunicação e tem um impacto sobre a relação da mídia com o suicídio. Este evento que aconteceu em Copacabana não deve sair na mídia, nem deveria. Mas vai ser comentado de boca em boca como está sendo, neste bairro onde existe uma das maiores concentração de população idosa da cidade do Rio de Janeiro.

terça-feira, 28 de maio de 2013

NOTÍCIAS DO CONGRESSO EM JUJUY-ARGENTINA

Foi grande a frequência de público no Primeiro Congresso Regional Argentino de Prevenção do Suicídio que ocorreu nos dias 24 e 25 deste mês de Maio em Jujuy, a província mais ao Norte da Argentina, e com a maior taxa de suicídio, particularmente entre jovens.
O Congresso foi promovido pela Fundación Vida, organização local  com fortes laços junto ao trabalho desenvolvido pela Igreja Católica, no tema do suicídio, e que mantem contato com o Centro de Assistência ao Suicida de Buenos Aires. O Congresso atraiu um público formado por: voluntários de ações sociais, professores, profissionais de saúde, religiosos, estudantes, enfim uma boa representação da sociedade de Jujuy e das Províncias vizinhas como Salta, Tucuman e outras.

Entre os diversos temas debatidos, a questão do desemprego e das medidas de austeridade econômicas que impactam nas taxas de suicídio, a fragilidade da coesão social nas estruturas da sociedade, como a família, induzidas por diversos cenários, tais como a migração interna e o consequente deslocamento de famílias.
O tema foi trazido pelos debatedores argentinos, brasileiros e uruguaios presentes no evento.

O jornal local El Tribuno de 25 de maio noticiou com as matérias abaixo:


       



quinta-feira, 16 de maio de 2013

Eventos Internacionais


La Asociación Mexicana de Suicidología, en coordinación con Secretaría de Salud del Estado de Campeche, así como la Asociación de Suicidiología de Latinoamérica y el Caribe, hacen extensiva una cordial invitación al V Congreso Internacional, V Congreso Latinoamericano y al Foro Estatal de Estrategias de Prevención del Suicidio.
Asimismo, se envía adjunto la convocatoria con los lineamientos para el envío de trabajos con fecha límite del 30 de junio del año en curso.
Reciban un cordial saludo y quedamos a su disposición para cualquier duda o comentario.
Comité Organizador AMS

Clique no link abaixo:






quarta-feira, 15 de maio de 2013

Publicação: Taxas de Suicídio e grandes crises na humanidade



 Um Capítulo que fala sobre coesão social, o conceito de Durkheim e, mais recentemente, em 1984, por Niklas Luhmann

http://oxfordmedicine.com/view/10.1093/med/9780198570059.001.0001/med-9780198570059-chapter-31

Publicação: Determinantes Políticos do Suicídio



Political Determinants of Suicide

Significant social, political, and economic changes in the countries of the former Soviet Union present a good model for investigation of the impact of environment on suicide mortality during times of transition. During the period of perestroika (1985–1990), when promising social changes were rapid, a significant decrease of suicide mortality was observed for both genders in all fifteen republics of the USSR. One of the factors which contributed to the decrease was the strict anti-alcohol policy implemented in 1985 and suspended by 1989. However, times of spiritual liberation, the aspiration of democracy, social optimism and hopes for higher living standards could also have attributed to the causality of suicide decrease. In the years 1990–1994, after the disintegration of the Soviet Union, the suicide rates in post-Soviet countries increased, with the exception of prevailingly Muslim central Asiatic, and the Caucasus countries which have a traditionally low level of suicides. The transitional period called for high adaptation capacity and the necessity of developing suicide-prevention programmes to increase social support and re-education measures.
O grifado em vermelho poderia representar uma redução da austeridade no sistema, com significativa expansão da vida social naquele período. Isto certamente deveria levar à redução do número de suicídio. Temos que considerar o que significava, em termos culturais, sociais, religiosos e econômicos as diversas Repúblicas da antiga URSS. Este Capítulo discute esta questão.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Publicação



Suicide prevention in Brazil

Chapter:
Suicide prevention in Brazil
Author(s):

Neury J Botega, 

Carlos Felipe Almeida D'Oliveira, 

José M Bertolote




DOI:
10.1093/med/9780198570059.003.0130

Brazil is the largest, and most populous, country in South America (population estimated in 2005 at 185 million). The low suicide rate in Brazil (around 4 per 100,000 inhabitants/year) is similar to those of most South American countries; however, in some population groups, such as farmers and male adolescents in the Rio Grande do Sul state, and for youngsters living in urban areas and indigenous groups, the rates are considerably higher. In spite of the low national suicide rate, the total number of suicides in 2005 was 8550, which places Brazil amongst the countries with the highest number of suicide deaths (Souza et al. 2002; Oliveira and Lotufo Neto 2003; Brasil—Ministerio da Saude 2006a).
http://oxfordmedicine.com/view/10.1093/med/9780198570059.001.0001/med-9780198570059-chapter-130

This Chapter was published on Oxford Textbook of Suicidology and Suicide Prevention, Edited by Danuta Wasserman and Camila Wasserman on March 2009. Published by Oxford University Press. Published in Oxford Medicine on July 2011.
If you are interested see the link below:
http://oxfordmedicine.com/view/10.1093/med/9780198570059.001.0001/med-9780198570059

domingo, 12 de maio de 2013

Publicação: Manual de Prevenção do Suicídio



Esta publicação pode ser acessada pelo link abaixo e  foi lançada em 2006, pelo Ministério da Saúde do Brasil e pela Organização Panamericana de Saúde. Foi organizada pelos médicos Dr. Carlos Felipe D Oliveira (Ministério da Saúde) e Dr. Neury Botega (UNICAMP) e fez parte das publicações lançadas pela Estratégia Nacional de Prevenção do Suicídio

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_editoracao.pdf

domingo, 5 de maio de 2013

Novo estudo sobre desemprego e taxas de suicídio na Europa

Ainda sobre estudos envolvendo desemprego e sua relação com as taxas de suicídio.

The health consequences associated with fluctuations in the level of business activity in society have been investigated for some years, with mixed results. InThe Lancet today, David Stuckler and colleagues1 show that, across 26 European Union countries, rapid and large increases in unemployment were associated with a significant increase in suicide rates. The effect was stronger in countries with low spending on active labour-market programmes, and null or reversed in countries with high spending.

PRIMER CONGRESO REGIONAL ARGENTINO DE PREVENCION DEL SUICIDIO

Vamos estar presentes em Jujuy, no mês de maio, neste Congresso da Região Noroeste da Argentina.  O Congresso tem o apoio da ASULAC (Associação Latinoamericana e do Caribe de Prevenção do Suicídio). O tema do Congresso é: DEFENSA DE LA VIDA - PREVENCION DEL SUICÍDIO, e vamos falar sobre A Importancia de la Familia en el Trabajo en Red. A região vem demonstrando uma tendência de aumento da taxa de suicídios entre jovens e adultos, mas não conhecemos ainda estudos que apontem os fatores de risco envolvidos.
http://www.slideshare.net/CARLOS_FELIPE_OLIVEIRA/projeto-jujuy

The Body Economic: Why Austerity Kills

Como havia postado dias atrás acima está o nome da publicação lançada pelos Professores de Oxford e Stanford que estuda o impacto da recessão econômica, incluindo a austeridade, em questões de saúde pública como o aumento da taxa de suicídio em uma sociedade, como ocorreu na Europa e nos Estados Unidos desde 2008.  Este Estudo de um economista político  e um epidemiologista que em tese tem os conhecimentos necessários para tratar deste tema tão complexo pode trazer novas luzes ao pensamento durkheiniano, que algumas publicações insistem em desconhecer por interesses que não posso identificar.
Sugiro que leiam ambos: O Suicídio de Durkheim e este Estudo atual. Excelente tema para a Rede Dialogar
Carlos Felipe

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Os estudos das Universidades de Oxford e de Stanford

Muito oportuno o estudo que revela as influèncias de fatores sociais, tais como o desemprego provocado pelas políticas austeras que beneficiam os interesses financeiros do capital nas grandes crises econômicas européias, sobre as taxas de suicídio. E o estudo assinado pelas Universidades de Oxford e de  Stanford, por um economista político e uma epidemiologista, traz de volta ao cenário o sempre contemporâneo pensador Emile Durkheim, um dos fundadores da sociologia, e sua publicação O Suicídio. Apesar de mais de cem anos nenhum trabalho vigoroso conseguiu chegar próximo nem derrubar qualquer tese de Durkheim, que usou o suicídio como objeto de seu estudo sobre os métodos sociológicos, e a influência dos fatores sociais sobre este evento.

Algumas publicações sugerem que os temas sociais não deveriam ser considerados, mas objetivamente não conseguem contestar com novas teses, e vamos deixar de lado estas publicações.

O que acontece agora na Grécia  com aumento da taxa de suicídios provocado pelo desemprego, principalmente de jovens, e o que aconteceu na Espanha, com o aumento da taxa de suicídio entre aqueles que perderam suas casas provocado pela mesma crise é um resultado direto da influência dos fatores  sociais sobre o suicídio, e que os casos diagnosticados como depressão tiveram sua origem nestes fatores. Assumir esta hipótese exige total liberdade de pensamento, que não é o que se revela em muitas instituições nacionais e internacionais, em relação ao tema.
Portanto, o estudo merece ser muito bem avaliado pela sociedade.