SE VOCÊ PRECISA DE AJUDA ACESSE

domingo, 14 de julho de 2013

Noticia do blog da REBRAPS

ESTATÍSTICA DA ORIGEM DO BLOG

Apos nove meses do lançamento deste blog chegamos este mês as mais de 3.500 visualizações. Todos podem conferir no marcador do blog este dado, mas não podem saber a origem destas visualizações. Como administrador do blog democrático desejo compartilhar para que  saibam as origens dos países que acessam esta pagina.
Durante este período foi esta a distribuição das origens das dez maiores visualizações: Brasil 2.016, EUA 524. Alemanha 475, Russia 76, China 43, Malásia 39, México 37, Ucrânia 20, Franca 25 e, Argentina 22.
No ultimo mes tivemos novas origens: Áustria 20 e Romênia 20. E assim vamos construindo e compartilhando este blog, que ;é de utilidade publica.

A pagina com maior numero significativo de visualizações foi aquela com o  trabalho publicado pela Oxford University cujo Capitulo sobre Prevenção do Suicídio no Brasil tivemos a honra de participar. Isto demonstra o interesse dentro e fora do Brasil sobre o tema que consideramos e sempre defendemos como de saúde publica. Alem das paginas que falam do blog, ha também um interesse por artigos e comentários. A partir das origens das visualizações das postagens podemos também avaliar estes interesse. 

Entendemos que é mais complicado deixar um comentário sobre o que se visualizou mas comentários sobre os artigos e atividades ajudam a construir uma boa base de dados compartilhados e assim ampliamos o conhecimento, um dos objetivos deste blog ao contribuir para o desenvolvimento de estrategias nacionais de Prevenção do Suicídio. Comente.
Obrigado a todas e todos que acessam o blog da REBRAPS


sexta-feira, 5 de julho de 2013

Artigo: Suicide in Brazil, 2004–2010: the importance of small counties


Suicide in Brazil, 2004–2010: the importance of small counties
Letícia Marín-León1, Helenice Bosco de Oliveira1 and Neury José Botega2
Rev Panam Salud Publica. 2012;32(5):351–9.

Abstract


Objective. To describe suicide rates by county size in the five geopolitical areas of Brazil.

Methods. This was an ecological, descriptive study of suicide deaths in Brazil that occurred among the population 10 years of age and older in 2004–2010. Data were obtained from the National Mortality Information System of Brazil. Counties were defined by size as: very large (200 000+), large (< 200 000–100 000), medium (< 100 000–50 000), small (< 50 000–20 000), very small (< 20 000–10 000, and micro (< 10 000). Age-adjusted suicide rates were calculated for all counties and for population-size groups in each geopolitical area. Rate ratio and 95% confidence interval were used to compare suicide risk between groups and the reference.

Results. The national, average suicide mortality rate was 5.7 deaths/100 000 inhabitants. Except in the North and North-East, suicide mortality rates increased from the very large (> 200 000) to the micro counties (< 10 000 population). Very high rates were scattered in the North and Mid-West among the indigenous peoples (> 30 deaths per 100 000). At highest risk were micro counties in the South (13.6 deaths per 100 000), with elderly males (60+ years, 31.4) and males 40–59 years (31.3) being the sex/age group with the highest rates.

Conclusions. To reduce suicide mortality in Brazil, public health authorities must support mental health training in small cities and multi-professional interventions among the indigenous peoples. In addition, the causes behind underreporting of suicide deaths must be resolved in several areas.


1 Department of Preventive Medicine, School of  Medical Sciences, State University of Campinas, São Paulo, Brazil. 
2 Department of Medical Psychology and Psychiatry, School of Medical Sciences, State University of Campinas, São Paulo, Brazil

Veja o texto integral em:
http://www.scielosp.org/pdf/rpsp/v32n5/v32n5a05.pdf