SE VOCÊ PRECISA DE AJUDA ACESSE

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

domingo, 15 de setembro de 2013

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Noticia: Entrevista do Dr. Carlos Felipe D Oliveira a RFI.

Noticia:  Suicídio uma questão de saúde publica.

 Veja no link abaixo matéria da entrevista sobre suicídio dada pelo Dr. Carlos Felipe D `Oliveira a RFI (Radio France Internacional).

http://www.portugues.rfi.fr/geral/20130912-especialista-defende-discussao-do-tema-do-suicidio-na-midia

Eventos: III Simpósio Internacional de Prevenção do Suicidio


III Simpósio Internacional de Prevenção do Suicídio aborda os desafios da prevenção na era digital
Iniciativa do CVV reúne especialistas mundiais no dia 20 de setembro em Florianópolis
Participação é gratuita e aberta ao público

Há 51 anos atuando na prevenção do suicídio, o CVV organiza pelo terceiro ano consecutivo o Simpósio Internacional de Prevenção do Suicídio, pela primeira vez fora da Grande São Paulo. Florianópolis é a cidade que receberá, no dia 20 de setembro, cerca de 300 pessoas interessadas em discutir o tema. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no próprio dia.

A mesa debatedora será formada por três especialistas com forte experiência na prevenção do suicídio em diferentes regiões do mundo. Dr. Carlos Felipe Almeida D’Oliveira é o único representante brasileiro. Médico, Carlos Felipe foi coordenador da Estratégia Nacional de Prevenção do Suicídio e representante brasileiro na Associação Internacional de Prevenção do Suicídio (IASP).

Da Argentina vem a debatedora Dra. Maria Fernanda Azcoitia. Ela é psicóloga e presidente do CAS – Centro de Assistência ao Suicida, de Buenos Aires. O terceiro debatedor é o norte-americano Gary Beckmann, coordenador regional do Befrienders Worldwide (organização que congrega instituições similares ao CVV ao redor do mundo).

O tema central do debate deste ano é “O desafio da prevenção na era das mídias sociais”.

“As tecnologias avançaram e os hábitos de comunicação mudaram, mas o suicídio continua sendo uma realidade, pois as dificuldades de lidarmos com as emoções continuam as mesmas. Para reduzir os casos de suicídio, as iniciativas de prevenção precisam se adaptar ao novo momento”, comenta Robert Paris, diretor do Befrienders Worldwide e membro do conselho do CVV – Centro de Valorização da Vida.

Uma iniciativa do CVV bastante recente nas mídias sociais é o movimento “Isso me faz seguir em frente”. Lançado na última semana de agosto e inicialmente baseado no Facebook, na página https://www.facebook.com/issomefazseguir, o movimento quer estimular as pessoas a refletirem sobre suas emoções e motivações. Em dez dias, a fanpage ultrapassou os 1.500 fãs.


III Simpósio Internacional de Prevenção do Suicídio
Data: 20 de setembro de 2013
Horário: 14h às 18h30
Local: Morro das Pedras Praia Hotel - Rua Manoel Pedro Vieira - 550 - Praia do Morro das Pedra - Florianópolis/SC
Organização: CVV – www.cvv.org.br ou 141 (telefone nacional)
Entrada franca

Debatedores
Dra. Maria Fernanda Azcoitia
Presidente do CAS, Centro de Assistência ao Suicida, de Buenos Aires, instituição onde atua desde 1981.
Psicóloga clínica,participou de vários Congressos de Suicidologia onde tem focado especialmente a temática de apoio por telefone atuando também como capacitadora de atendentes em todo território argentino.
Integra as comissões organizadoras de diversos congressos sobre o tema.


Dr. Carlos Felipe Almeida D'Oliveira,
Médico formado pela UFRJ, Mestre em Ciências da Saúde pela Fundação Oswaldo Cruz e Pós-Graduado em Pediatria pela UFRJ.
Foi Coordenador da Estratégia Nacional de Prevenção do Suicídio (2005-2008), Representante Nacional da IASP (2006-2009), Coordenador do Núcleo de Atenção ao Suicídio do Instituto Philippe Pinel (2002-2003), Coordenador do Projeto ConViver de apoio aos Sobreviventes do Suicídio-RJ (2006-2008).
Recentemente lançou o site www.rebraps.com.br e possui  publicações sobre o tema Prevenção do Suicídio.

Gary Beckmann
Coordenador Regional de Befrienders Worldwide para América do Norte.
Atua como voluntário há mais de 18 anos, sendo atualmente membro do Board do Samaritans Boston . Trabalhou em Viena como voluntário em atendimento telefônico, sempre em prevenção do suicídio.


O suicídio no Brasil
·         No Brasil, 25 pessoas morrem vítimas de suicídio por dia e ao menos outras 50 tentam tirar a própria vida.
·         No mundo, uma pessoa se mata a cada 40 segundos.
·         Segundo pesquisa da Unicamp, 17% dos brasileiros pensaram seriamente em cometer suicídio no decorrer de suas vidas.
·         De todos os casos, mais de 90% poderiam ser evitados.
·         Quem tenta suicídio pede ajuda.

Apesar da seriedade do assunto, o suicídio ainda é um tabu na sociedade brasileira o que dificulta a sua prevenção. O CVV acredita que uma forma importante de se evitar novos casos é conversar sobre o assunto para derrubar mitos e quebrar tabus.

Sobre o CVV
O CVV - Centro de Valorização da Vida, fundado em São Paulo em 1962, é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida como de Utilidade Pública Federal em 1973. Presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Os mais de um milhão de atendimentos anuais são realizados por 2.200 voluntários em 18 estados mais o Distrito Federal, pelo telefone 141 (24 horas), pessoalmente (nos 72 postos de atendimento) ou pelo site www.cvv.org.br via chat, VoIP (Skype) e e-mail.
É associado ao Befrienders Worldwide (www.befrienders.org), entidade que congrega as instituições congêneres de todo o mundo e foi reconhecido pelo Ministério da Saúde como a melhor iniciativa não governamental de prevenção ao suicídio no Brasil.


Contatos com a imprensa sobre temas nacionais do CVV
LVBA Comunicação Corporativa e Relações Públicas
André Lorenzetti
11 3039-0660 / 3039-0659

cvv@lvba.com.br

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Publicação: Dia Mundial da Prevenção do Suicídio - Artigo do Dr. Humberto Correa

Publicação: Dia Mundial da Prevenção do Suicídio

Veja no link abaixo o artigo do Dr. Humberto Correa, ex-representante no Brasil da IASP (International Association for Suicide Prevention) para este dia.

Publicação: Dia Mundial da Prevenção do Suicídio - Artigo do jornalista Andre Trigueiro

Dia Mundial da Prevenção do Suicídio

Veja no link abaixo o artigo do jornalista brasileiro Andre Trigueiro, militante na área de Prevenção do Suicídio e colaborador do Centro de Valorização da Vida (CVV), para este dia.

sábado, 7 de setembro de 2013

PUBLICAÇÃO: DIA MUNDIAL DA PREVENÇÃO DO SUICÍDIO – NO CAMINHO DE HANNAH ARENDT E EDGARD MORIN

Devo iniciar este artigo sobre o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio com um parágrafo da célebre obra de Hannah Arendt, A Condição Humana editada em 1958: “Todas as atividades humanas são condicionadas pelo fato de que os homens vivem juntos, mas a ação é a única que não pode ser imaginada fora da sociedade humana”.
Neste parágrafo Arendt reforça sua teoria de que a ação é prerrogativa do homem, e só a ação depende inteiramente da constante presença de outros. Assim trazemos a importância deste trabalho coletivo para celebrar no dia 10 de setembro a lembrança de que trabalhamos por uma condição humana de extrema importância: o direito à vida.
O suicídio do ser humano contempla a vitória do sofrimento sobre a vida e a incompetência cruel da sociedade humana em proteger seus semelhantes.
Há mais de dez anos venho comentando sobre a complexidade do fenômeno do suicídio. E o conceito de complexidade deste evento merece ser melhor entendido. Cito isto porque vejo em vários comentários na rede internet como a questão da causalidade do suicídio traz equívocos na sua compreensão.
Outro dia seguindo na internet uma discussão sobre a questão do aumento da taxa de suicídio nos países em crise econômica no sul da Europa um comentarista de origem suiça relatava que: “as crises econômicas não podem ser uma causa de suicídio porque na Suiça não existe crise econômica e havia um aumento da taxa de suicídios”.
Esta é a ideia do pensamento linear, dualista, cartesiano que não consegue ver a interação de variáveis na compreensão de um fenômeno, principalmente quando este é extremamente complexo e, portanto, sua multicausalidade. No conceito de Edgard Morin, que adotamos para falar de complexidade, esta redução do pensamento e do método científico se apresenta nos processos de separação e redução dos fenômenos e consequente análises equivocadas.
Vários dos conceitos da teoria da complexidade como auto-organização, imprevisibilidade, imprecisão, correlação, autopoiese e outros ajudam a entender o fenômeno do suicídio e são essenciais para o desenvolvimento de ações de prevenção do suicídio.
Assim, pretendo nesta semana dar seguimento a este pensamento, assim como trazer outros autores que podem auxiliar a compreensão deste tema e estimular um debate nesta rede.